Project Description

MASTOPEXIA

ANTES E DEPOIS

Caso 01

ANTESDEPOIS

Caso 02

ANTESDEPOIS

O QUE É A MASTOPEXIA?
A mastopexia ou lifting mamário é uma cirurgia que tem como objetivo “levantar” a mama, quando esta está “caída”, seja por resultado de uma gravidez ou emagrecimento.

Em alguns casos, pode também aumentar o volume ao mesmo tempo que se faz o lifting da mama.

QUE MULHER TEM INDICAÇÃO PARA UMA MASTOPEXIA?
Qualquer mulher cuja mama esteja flácida (“vazia”) e ptótica (“caída”) é candidata a realizar uma mastopexia.

Em alguns casos, a mama está tão “vazia” que precisará de fazer um aumento de volume em simultâneo (designa-se de mastopexia de aumento). O aumento de volume poderá ser feito com um implante mamário ou com gordura do próprio corpo, que se pode remover do abdómen, das coxas ou das nádegas.

COMO É REALIZADA UMA MASTOPEXIA?
A mastopexia é uma cirurgia realizada sob anestesia geral e em regime de ambulatório (as pacientes poderão ter alta no dia seguinte ao da intervenção).

O lifting da mama é realizado removendo a pele da mama que está em excesso, de forma a que a pele que fica seja adequada ao volume da mama existente.

Nos casos em que a mama tem um volume muito reduzido, poderá ser necessário realizar uma mastopexia de aumento, colocando um implante mamário e depois adequando a pele ao volume mamário resultante.

A MASTOPEXIA PODE SER REALIZADA SEM CICATRIZES?
Tal como todas as cirurgias, a mastopexia não pode ser realizada sem cicatrizes.

Na mastopexia, as cicatrizes podem variar de acordo com a quantidade de pele que tenha de se remover.

Nos casos mais ligeiros, a cicatriz resultante situa-se apenas em volta da aréola (esta fica dissimulada pela transição da pele escura da aréola para a pele mais clara da mama).

Nos casos intermédios, é necessário prolongar inferiormente a cicatriz que fica em torno da aréola.

Nos casos mais graves será necessário realizar uma cicatriz em volta da aréola, uma no sulco inframamário (fica escondida por baixo da mama) e uma pequena cicatriz vertical, que une as duas cicatrizes anteriores. Geralmente, as cicatrizes ficam menos visíveis entre 4 a 6 meses após a cirurgia e as mulheres costumam referir que valeu a pena, apesar das cicatrizes.

O seu Cirurgião Plástico poderá explicar-lhe quais as melhores técnicas para que a cicatriz seja o mais impercetível possível.

QUAIS OS EFEITOS ADVERSOS DE UMA MASTOPEXIA?
Os efeitos adversos mais frequentes são transitórios (passageiros) e desaparecem espontaneamente. Os mais frequentes são equimose (nódoa negra) e edema (“inchaço”). É frequente desaparecerem entre 2 a 3 semanas.

Outro efeito indesejado é a assimetria, resultante de diferença no volume ou na posição do mamilo. Esta diferença poderá resultar de uma assimetria existente antes da cirurgia e que passou despercebida à mulher e por isso é fundamental um exame objetivo minucioso antes da intervenção.

A maioria das técnicas permite preservar a capacidade de amamentação, embora seja frequente haver alteração transitória da sensibilidade do mamilo.

Um efeito indesejado da mastopexia são as cicatrizes; mas a maioria das mulheres que deseja submeter-se a esta intervenção prefere a existência de cicatrizes numa mama que seja proporcional ao seu corpo, do que viver com mamas “vazias” e “caídas”, que afectam a sua autoestima e o seu relacionamento pessoal e social.

Além disso, as cicatrizes ficam menos evidentes com o tempo. O seu Cirurgião Plástico saberá aconselhá-la sobre a melhor forma de tratar as suas cicatrizes.

QUAL O RESULTADO DE UMA MASTOPEXIA?
A mastopexia tem como objetivo “levantar” a mama, para uma posição anatomicamente adequada e eventualmente, aumentar o tamanho da mama, para que seja proporcional ao corpo da mulher e esta se sinta confortável com a sua imagem.

QUAIS OS CUIDADOS APÓS UMA MASTOPEXIA?
Habitualmente, a mulher tem alta no dia seguinte ao da cirurgia e pode recuperar no conforto da sua casa. Em alguns casos, poderá ter alta no mesmo dia da cirurgia.

É aconselhada a utilização de um soutiã pós-cirúrgico, sem aros de metal, durante um período de 1 a 2 meses e também que evite movimentos muito amplos com os braços, nos primeiros dias.

Nos casos de mastopexia de aumento é também aconselhada a realização de drenagem linfática manual para acelerar a recuperação, melhorar o conforto e diminuir o edema associado à cirurgia.

QUANDO É QUE SE PODE RETOMAR A ATIVIDADE/ ROTINA DIÁRIA APÓS A MASTOPEXIA?
O recuperação após a mastopexia é muito variável de mulher para mulher, sendo uma questão muito pessoal.

Na generalidade dos casos, após 1 ou 2 semanas a mulher está apta para qualquer atividade, embora seja aconselhado um intervalo mais longo (1 a 2 meses) antes de recomeçar com exercício físico mais intenso.

Nos casos de mastopexia de aumento, a mulher estará apta para qualquer atividade ao fim de 2 ou 3 semanas.

O seu Cirurgião Plástico saberá aconselhá-la sobre a forma mais adequada.

VOU FICAR MELHOR APÓS REALIZAR UMA MASTOPEXIA?
A Mastopexia é uma intervenção cirúrgica que visa proporcionar uma melhoria da sua aparência física e também um reforço da sua autoestima. A nova imagem que irá adquirir não irá modificar, por si só, todas as outras áreas da sua vida (profissional, familiar, social), pelo que é fundamental ter essa consciência.
O equilíbrio emocional é indispensável para ser submetida a uma intervenção cirúrgica, especialmente se esta for de natureza estética.

A MASTOPEXIA É SEGURA?
Como qualquer cirurgia, a mastopexia não está isenta de riscos
O primeiro passo é consultar um Cirurgião Plástico, que esteja inscrito na Ordem dos Médicos (www.ordemdosmedicos.pt) e na Sociedade Portuguesa de Cirurgia Plástica Reconstrutiva e Estética (www.spcpre.org.pt).

Além disso, é importante escolher uma clínica com ambiente adequado para a realização da consulta e da cirurgia e escolher o momento adequado para a realização da cirurgia ( a nível social, pessoal ou profissional).

Deve conversar abertamente com o seu médico, colocar todas as dúvidas, esclarecer quais os seus objetivos e expectativas e ouvir quais os resultados possíveis, os cuidados pós-operatórios necessários e as possíveis complicações.

Galeria